A Abreu Advogados anuncia ao mercado a abertura do mais recente security operations center (SOC) português. Tem como nome “Abreu SOC”, utiliza inteligência artificial, e está integrada nas instalações da sociedade de advogados.

A sociedade de advogados é uma das primeiras entidades a nível mundial, a apresentar um SOC com instalações e equipa interna dedicadas, “permitindo ao escritório prosseguir o trabalho que tem vindo a realizar na deteção e combate ao cibercrime em articulação com organizações públicas e privadas do mundo inteiro”. Este recente centro de informação e segurança está na vanguarda da tecnologia para o tratamento cuidado dos ativos (informação, redes e sistemas) geridos pela sociedade, fomentando a expansão da capacidade da firma em matéria de cibersegurança e indo ao encontro da crescente exigência do mercado para a proteção da informação.

O Abreu SOC está em funcionamento desde Setembro, tendo já realizado milhares de testes.Trata-se de um serviço completo que visa assegurar o reforço da segurança da informação gerada e guardada pela sociedade de advogados mas também dos seus clientes e parceiros, dentro e fora do sector da advocacia e justiça. Com esta solução, os clientes “acedem a um mais amplo conjunto de serviços e recursos para lidar com a acelerada transformação digital que exige maior capacidade das organizações para a segurança da sua informação”.

As funções principais do Abreu SOC são a gestão e monitorização contínua e em tempo real de eventos da nossa infraestrutura tecnológica, correlacionando e analisando os dados para uma resposta e remediação coordenada e integrada com threat intelligence em ligação a países do mundo inteiro.

Está incluído no Abreu SOC uma equipa multidisciplinar composta por 10 elementos, que engloba uma equipa interna de analistas de segurança de monitorização e análise de indicadores de compromisso, numa operação 24×7, em coordenação com equipas externas de resposta.

Para João Cupertino, responsável de IT na Abreu Advogados, a firma “orgulha-se por poder apresentar um novo serviço que espelha uma aposta clara em transformação digital, em especial na área da Cibersegurança, tendo como referência as maiores organizações multinacionais, independentemente do seu setor e dimensão. A nossa ação foi estruturada tendo como objetivo estabelecer a cooperação com outras entidades do sector e com organizações na área da cibersegurança. Queremos promover a criação de uma rede de partilha de inteligência e conhecimento no setor, para potenciar a deteção e defesa para as atuais e futuras ameaças cibernéticas. Os riscos à segurança são elevados e o mercado requer uma resposta rápida e eficaz por parte de todas as organizações, num ano em que as sociedades de advogados tiverem alguma projeção mediática em torno do tema da segurança informática”.

Com este centro operacional, passamos a ter uma capacidade de deteção em tempo real para algumas ameaças, o que numa outra empresa poderia demorar meses ou anos”, reforça João Cupertino, no âmbito da apresentação oficial do Abreu SOC, no passado dia 18 de Novembro, integrada no evento “Cibersegurança: desafios e respostas para 2020”.

Subscreva a newsletter e receba os principais destaques sobre Direito e Advocacia.