As receitas da Garrigues alcançaram os 364,6 milhões de euros em 2018, mais 2,1% face ao ano anterior. Segundo o comunicado da firma, o principal impulsionador deste resultado foi a atividade internacional da Garrigues, que possui escritórios em 13 países situados em quatro continentes. No final de 2018, a faturação gerada pelo negócio internacional da firma representava 13,2% da sua faturação global.

Portugal – onde a Garrigues tem dois escritórios, um em Lisboa e outro no Porto – foi dos países que mais se destacou em 2018, tendo os escritórios portugueses da firma registado um crescimento de 16% face ao ano anterior. Na América Latina – região que continua a ser uma das grandes apostas da firma – a faturação atingiu 25,65 milhões de euros, o que representa um aumento da ordem de 9,3% em relação a 2017 (19% se se utilizarem como referencia as moedas locais dos 5 países dessa região nos quais a firma está presente).

De acordo com o mesmo comunicado, a área de Direito Societário e de M&A, consolidou-se como a área de prática que gerou mais receitas (32,7% das receitas totais). Seguida de muito perto pela área de Direito Fiscal (30,4% das receitas totais). No final de 2018, 91,4% das empresas do principal índice da bolsa espanhola – Ibex 35 – trabalhavam com a Garrigues, que conta com clientes em mais de 70 países.

Ao longo de 2018 a Garrigues intensificou a sua aposta pela inovação tecnológica e pela transformação digital. O investimento feito pela firma ao longo dos últimos 5 anos em projetos, ferramentas e iniciativas de inovação, foi da ordem de 50,76 milhões de euros. Em 2018 esse investimento representou 3% das receitas globais da firma.

Subscreva a newsletter e receba os principais destaques sobre Direito e Advocacia.