Faleceu o advogado e antigo ministro André Gonçalves Pereira

André Gonçalves Pereira morreu, esta segunda-feira, aos 83 anos. O advogado e professor de Direito Internacional foi ministro dos Negócios Estrangeiros no segundo Governo  liderado por Francisco Pinto Balsemão.

Numa nota publicada no site da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa realça “as excecionais inteligência e brilho” de André Gonçalves Pereira.

“Jurista de excecionais inteligência e brilho, Professor Emérito de Direito Internacional Público, causídico de prestígio nacional e internacional. Ministro dos Negócios Estrangeiros no segundo Governo de Francisco Pinto Balsemão, foi defensor de um Estado de Direito Democrático”, acrescentou o Chefe de Estado.

Nascido em Lisboa a 26 de Julho de 1936, André Roberto Delaunay Gonçalves Pereira tornou-se advogado em 1959 e doutorou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, com apenas 25 anos. Foi fundador da sociedade Cuatrecasas/Gonçalves Pereira.

André Gonçalves Pereira foi também membro do Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian e representante da República Portuguesa nas Nações Unidas, Fundo Monetário Internacional, OCDE e Unesco, entre outros organismos. Foi ainda professor convidado na Universidade de Columbia (Estados Unidos) e nas universidades de Paris, Madrid e Rio de Janeiro.

Ao longo da sua carreira foi nomeado Grande-Oficial da Ordem Militar de Nosso Senhor Jesus Cristo de Portugal (1983) e Grande Oficial da Legião de Honra de França (1982) e condecorado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal (2006), a Grã-Cruz da Ordem de Mérito de Itália (1981), a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul do Brasil (1982) e a Grã-Cruz da Ordem de Leopoldo II da Bélgica (1981).

Inteligente e brilhante, foi um extraordinário advogado que soube grangear um enorme prestígio que ultrapassou largamente as fronteiras de Portugal“, sublinha Rafael Fontana, presidente da Cuatrecasas.

Foi, além disso, uma pessoa-chave no processo de integração da Cuatrecasas com a Gonçalves Pereira, o qual culminou com a primeira e mais relevante fusão de escritórios da advocacia ibérica, cerne do que é hoje uma das sociedades de advogados de maior expressão na Península Ibérica e América Latina e considerada uma das mais inovadoras da Europa”, acrescentou Rafael Fontana.

Maria João Ricou, managing partner da Cuatrecasas em Portugal, e que, no início da carreira, teve André Gonçalves Pereira como seu patrono assinala: “Deixou-nos um académico notável, um advogado que marcou gerações, uma pessoa extraordinária, que sempre tomaremos como inspiração a nível profissional e humano, e que sempre recordaremos com profunda admiração, gratidão e saudade”, referiu Maria João Ricou, managing partner da Cuatrecasas em Portugal, e que, no início da carreira, teve André Gonçalves Pereira como seu patrono.

Subscreva a newsletter e receba os principais destaques sobre Direito e Advocacia.