Rui Patrício e Nuno Igreja Matos publicam artigo sobre corrupção e branqueamento

Rui Patrício, sócio da Morais Leitão, e Nuno Igreja Matos, associado da mesma sociedade, publicaram recentemente um artigo sobre corrupção e branqueamento, numa relevante obra coletiva. O artigo integra a publicação Estudos Projeto ETHOS – Corrupção e Criminalidade Económico-Financeira,  uma compilação de alguns dos estudos e comunicações produzidas no âmbito do Projeto ETHOS.

Com o título “Corrupção e Branqueamento: das relações incestuosas às (a)tipicidades”, o artigo dos dois autores procura, através de diferentes ângulos, explorar a relação entre corrupção e branqueamento, dedicando-se à análise detalhada da relação simbiótica entre a prevenção da corrupção e a prevenção do branqueamento e dos problemas (a)típicos da repressão penal da corrupção e do branqueamento.

O Projeto ETHOS, dirigido por Amadeu Guerra, diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal, teve como objetivo essencial a formação e capacitação de um grupo de 60 magistrados do Ministério Público para desempenhar funções na área da investigação da corrupção e da criminalidade económico-financeira, tendo decorrido ao longo de dois anos com seminários em Lisboa, Porto, Coimbra, Évora e Viseu.

A publicação agora editada será distribuída por todos os magistrados do Ministério Público. Com prefácio de Joana Marques Vidal, à data Procuradora-Geral da República, o livro conta com capítulos preparados por vários intervenientes nas sessões de formação, sendo uma valiosa fonte de informação num tema de magnitude e sofisticação crescentes.

Subscreva a newsletter e receba os principais destaques sobre Direito e Advocacia.