MLGTS e COTEC discutem Construção 4.0

A Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados (MLGTS) e a COTEC Portugal organizam uma conferência conjunta, com o título “Conferência Construção 4.0: do projetista ao construtor e ao jurista”, no próximo dia 18 de Setembro, em Lisboa.

O tema principal desta conferência é o BIM, Building Information Modelling. Com abertura por Nuno Peres Alves (sócio da MLGTS) e Jorge Portugal (Diretor-Geral da COTEC Portugal), o BIM e o relatório BIM e a Digitalização da Construção e das Infraestruturas do Grupo de Trabalho Temático no âmbito da Plataforma Portugal Indústria i4.0 – COTEC Portugal são apresentados por António Aguiar Costa (Instituto Superior Técnico e Coordenador do Grupo de Trabalho Temático). Segue-se a discussão das “Perspetivas atuais e futuras do BIM no direito da União Europeia e português”, por Pedro Costa Gonçalves (sócio da MLGTS e Professor da Faculdade de Direito de Coimbra).

O programa inclui uma mesa redonda subordinada ao tema “A implementação do BIM: experiência nacional e internacional”, com Nuno Peres Alves (moderador), João Marcelo Silva (Coordenador do Projeto BIM no Grupo DST), José Ribeiro (arquiteto e coordenador das Plataformas Tecnológicas de Construção do grupo Mota-Engil), Margarida Olazabal Cabral (sócia da MLGTS) e Ricardo Guimarães (sócio da Linklaters LLP).

A conferência terá uma sessão de encerramento com Nuno Galvão Teles (managing partner da MLGTS), Isabel Folhadela Furtado (Presidente da Direção da COTEC Portugal) e Guilherme W. d’Oliveira Martins (Secretário de Estado das Infraestruturas – a confirmar).

Segundo Nuno Peres Alves, sócio da MLGTS, “o BIM traduz a inovação tecnológica no setor das infraestruturas e da construção e já está a ser aplicado em muitas empresas portuguesas. Esta inovação tem implicações nas políticas públicas e projeta-se na lei e nos contratos: mudará a gestão contratual? Diminuirá drasticamente os erros e omissões e os trabalhos a mais? Alterará a distribuição do risco nos contratos? Criará novos temas e preocupações a serem regulados nos contratos e na lei? São estas e outras questões que vamos discutir também numa perspetiva prática e multidisciplinar com arquitetos, engenheiros, projetistas, gestores de obras e de infraestruturas, e advogados. Vamos olhar para as infraestruturas em todo o seu ciclo de vida, desde a conceção até à exploração e manutenção.”

Já Jorge Portugal, Diretor-Geral da COTEC, salienta que “a adoção do BIM é incontornável para o reforço da competitividade do setor do projeto, construção e manutenção de estruturas e para a projeção da engenharia portuguesa no mundo. À semelhança do que tem acontecido em países como o Reino Unido e países nórdicos, o estado português deve adotar a norma BIM para garantir um maior retorno no investimento público e transparência na contratação“.

Subscreva a newsletter e receba os principais destaques sobre Direito e Advocacia.