A Ordem dos Advogados elaborou uma proposta de redução anual das quotas dos advogados em cerca de 1,2 milhões de euros, que prevê também a criação de um novo escalão intermédio/de transição para os jovens advogados.

Esta proposta foi aprovada pelo Conselho Geral e vai ser discutida numa Assembleia Geral Extraordinároa no próximo dia 15 de Outubro para vigorar a partir de 1 de Janeiro de 2019.

De acordo com o comunicado enviado às redações, a maior redução é proposta para o escalão entre cinco e seis anos de exercício da profissão podendo as quotas mensais serem reduzidos em 30% face aos valores atuais.

Já para os jovens advogados (até quatro anos de exercício da profissão) é cerca de 20% de decréscimo mensal, enquanto para os advogados com mais de 6 anos de actividade e para os reformados, a redução nas quotas mensais ultrapassa os 6%.

Além da redução do valor das quotas, a proposta inclui ainda a criação de um novo escalão intermédio/de transição para os jovens advogados, “dando-lhes tempo para se estabelecerem na profissão”.

“Esta alteração só é possível devido devido a todo o trabalho de reestruturação interna que tem vindo a ser feito na Ordem dos Advogados pelo seu Conselho Geral”, segundo a mesma nota.

O Bastonário da Ordem dos Advogados, Guilherme Figueiredo, refere que “quando o atual conselho geral tomou posse, em janeiro de 2017, as contas apresentavam um resultado económico negativo de 901.417 euros. Atualmente, além de ter sido ultrapassado esse resultado negativo, o trabalho e a gestão rigorosa deste conselho geral permitiu a redução de despesas em cerca de 1,800 milhões de euros e a transformação daquele resultado negativo num resultado positivo em mais de um milhão de euros”.

Consulte abaixo os valores propostos para o próximo ano:

Subscreva a newsletter e receba os principais destaques sobre Direito e Advocacia.