Quer saber como escolher um bom referee?

Todos os anos os diretórios internacionais dão cada vez maior importância ao feedback obtido junto dos referees indicados pelas sociedades de advogados (a referee is usually a client but it can be anyone who has good experience and knowledge of the firm, de acordo com a Chambers).

Com alguma frequência o maior obstáculo a uma subida no ranking é a ausência de feedback por parte dos referees indicados. Como em tudo na nossa vida, também neste processo de escolha existem algumas regras de ouro e de senso comum que devemos seguir. Vejamos algumas:

  1. Indique referees com os quais tenha trabalhado recentemente (de preferência nos últimos 12 meses);
  2. Escolha referees com os quais os advogados tenham trabalhado nas operações que vai incluir na submissão;
  3. Selecione referees que saibam falar (positivamente) da equipa envolvida nas operações e elogiem a sociedade no geral e os advogados individualmente. Olhe para a sua estratégia anual para os diretórios [ver o meu artigo Diretórios e rankings jurídicos: como escolher e gerir] e veja se os referees que quer indicar trabalharam com os advogados que quer que apareçam / subam nos rankings;
  4. Indique os indivíduos com os quais tenha trabalhado diariamente, estejam disponíveis para entrevista e dêem feedback positivo. Os researchers não se impressionam com títulos. Não escolha o CEO da empresa apenas para impressionar;
  5. Prefira indicar referees que conheçam bem a sua equipa e o mercado jurídico em geral. De preferência que tenham também trabalhado com outros escritórios e advogados, pois neste caso a opinião positiva relativamente aos seus advogados e sociedade tem um maior peso;
  6. Aponte referees que falem inglês. As entrevistas são na sua maioria conduzidas em inglês, embora com frequência para o mercado Português surjam researchers de nacionalidade brasileira.

 

  • Já agora, o que não se deve fazer:
  • Tome nota se o mesmo referee é listado em mais do que um diretório para rankings de diferentes áreas. Não sature o referee com muitas entrevistas;
  • Não inclua os mesmos referees ano após ano, salvo se tiver com este uma relação muito próxima. Senão poderá haver o efeito perverso de este ignorar o email/telefonema do researcher. E, muitas vezes, só há uma ou duas oportunidades para este contacto. Lembre-se que o researcher tem milhares de contactos para efetuar;
  • Evite indicar mais do que um contacto por empresa. Demonstre a sua diversidade de clientes e de setores em que atua;
  • Respeite o número de referees aceite por cada diretório. A Chambers só aceita 20 referees, enquanto o Legal 500 aceita um número ilimitado. A diferença é que, enquanto a Chambers faz um contacto inicial por telefone e, posteriormente, por email caso o primeiro contacto falhe, o Legal 500 envia um email massivo a todos os referees Peça aos advogados para alertarem os seus referees para este tipo de email;
  • Last but not the least, não se esqueça de pedir permissão ao referee para indicar o seu nome e contacto.
  • Como escolher?
  • Acessibilidade. Relevância. Positividade.

Escolha pessoas com as quais tenha trabalhado recentemente, que sejam acessíveis, estejam dispostas a serem entrevistadas (via telefone ou email) e sejam 100% positivas acerca do trabalho desenvolvido pela sociedade e pelos seus advogados.

Subscreva a newsletter e receba os principais destaques sobre Direito e Advocacia.